Limpando o lixo existencial

 “Não existe um ser humano que queira sentir dor, por outro lado, ninguém quer sair do padrão da dor. Isto é um paradoxo”. A citação é da Dra Gurusangat Kaur Khalsa, Lead Trainer do Kundalini Research Institute. As pessoas adoram cultivar a vitimização, reclamação e viver na dor. Nosso ego a todo instante quer conforto. Queremos ser acolhidos, reconhecidos e mais que isso, queremos ser aceitos com as nossas convicções e verdades. Quando conseguimos perceber essa realidade egocêntrica e o quanto costumamos repetir os mesmos comportamentos, um grande passo é dado em direção à cura e limpeza do lixo existencial.
Ao constatar essa realidade pessoal o indivíduo precisa ter a coragem e boa vontade para avançar e abandonar as manhas do ego. A prática de meditação e yoga são ferramentas essenciais que aceleram a expansão da nossa consciência. O entendimento do funcionamento mental também pode ser um grande aliado. O nosso ego é muito esperto e nos sabota o tempo todo em busca do conforto absoluto. E é nesta pegadinha que nos tornamos vítimas de nós mesmos, pois deixamos de olhar para os fatos como eles realmente são. Engana-se quem pensa que o ego se resume em vaidades. Ele pode ser muito mais sofisticado que isto!
Enquanto não formos capazes de ter um entendimento da nossa própria realidade, estaremos  acumulando lixo, pois não seremos capazes de viver em nossa grandeza. Geralmente esperamos o reconhecimento alheio e agimos de forma vaidosa. Quando atuamos apenas  pelo ego a nossa comunicação se torna fraca e não conseguimos expressar os sentimentos pelo coração. Tornamo-nos superficiais, presos em nossas próprias convicções.
 Não existe ser humano sem ego. Acredito que uma dose dele pode ser até saudável. Mas o que ocorre com as pessoas não despertas para a consciência é que este vilão conduz o comportamento da maioria. Ele entra em cena e comanda a comunicação dirige as nossas ações de uma maneira equivocada.
Caminhamos para um processo de regeneração da Terra. E em plena mudança de eras (Era de Peixes para Era de Aquário), novas formas de convivência com o planeta e com ser humano se fazem necessárias. As ações do ser desperto devem mostrar sabedoria. Quanto mais rápida for à decisão de começar uma faxina interna e não camuflar as dores com remédios e hábitos perniciosos, mais breve teremos a chance de dar de cara com o nosso self, e de enfrentarmos a nossa própria realidade. Tarefa fácil? Não! Porém digna e necessária para aqueles que querem a experiência de uma vida plena.
Vejo a tecnologia do Kundalini Yoga como uma excelente ferramenta para eliminação do lixo existencial para a erradicação desses padrões de comportamento egocêntricos. O ego é o nosso lixo, o lixo existencial. Ele funciona como uma espécie de cortina de fumaça. A cortina que nos impede de agir pela consciência.
A yoga é a flecha que nos conduz para um estágio de maior compreensão de nós mesmos. Ela nos conecta com a nossa alma independente de religião. Cada postura possui uma sabedoria própria.Somos confrontados por estas posições que também chamamos de Asanas,  respirações, pranayamas e meditações. E é neste confronto que conseguimos enxergar nossas fragilidades e nos fortalecer.
Compreendemos que o valor do ser humano deve vir da verdade incorporada em ações práticas, no calibre interno e nas qualidades de sua mente e de seu coração. Este é o perfil de um ser realizado.

Patwant Kaur
Brasilia, maio de 2015.



Nenhum comentário:

Postar um comentário