Sat Nam Rasayan® é uma antiga e preciosa técnica meditativa e ao mesmo tempo uma forma de curar muito sofisticada, que utiliza como único instrumento a expansão da consciência.
Foi transmitida de geração em geração, através de uma Linhagem muito distinta e tradicionalmente foi ensinada para curar o próximo. Presente em diversas culturas, descende na sua forma atual da tradição do Kundalini Yoga ensinado por Yogi Bhajan. O atual Mestre e guardião desta técnica é Guru Dev Singh Ph.D.
Em sânscrito Sat Nam Rasayan® significa “relaxamento profundo no nome Divino” ou “abandono na essência da verdadeira identidade.”
No Sat Nam Rasayan® se usa como instrumento de cura um particular estado da consciência que chamamos de mente meditativa projetiva, um estado mental de neutralidade, silêncio e transcendência. Neutro porque o terapeuta contempla as suas próprias sensações, sem descrevê-las nem interpretá-las; não se identifica com seus pensamentos nem reage diante de suas percepções. Silencioso porque o universo inteiro aparece sem forma nem distância, indiferenciado e inseparável de si mesmo, como uma sensação a mais. Transcendente porque o praticante, ao permitir suas sensações, transforma o universo.
A mente meditativa é o estado natural da mente. Não podemos defini-la, mas somente descrevê-la no confronto com a mente positiva, aquela que age, e com a mente negativa, aquela que distingue. A mente meditativa é a mente neutra que observa ambas e decide. O praticante de Sat Nam Rasayan® aprende a eliminar condicionamentos e bloqueios que limitam esse estado de sua consciência, e procura viver a experiência assim como ela é, sem filtros, sem julgamentos, eliminando tendências e preconceitos, em um espaço de neutralidade e silêncio absolutos.
No Sat Nam Rasayan®, o estado de doença é descrito como uma tendência do corpo em reagir a estados de desequilíbrio. A reação pode ser uma dor, um problema emocional ou uma doença mais séria. Através do processo de abertura e de estabilização do Espaço Meditativo, da sustentação de uma atenção estável, do aumento da capacidade de sentir e da capacidade de manter a intenção e projeção, o praticante de Sat Nam Rasayan® pode controlar o equilíbrio dos cinco elementos, terra, água, fogo, ar, éter, com os quais è formado o corpo humano e todo o universo.
Ao entrar em relação com o seu paciente ou evento nesse estado de consciência, o praticante consegue intervir sobre órgãos, músculos, meridianos ou bloqueios de natureza variada, reequilibrando o sistema simplesmente ao permitir as suas sensações, fazendo assim com que tudo faça de novo parte do fluxo natural. Enquanto cria o Espaço para curar os outros, o praticante cura também a si mesmo.
O Sat Nam Rasayan® é uma técnica aplicável em qualquer situação. Não implica nenhuma manipulação física, não é imposição das mãos, nem passagem de energia. É baseado simplesmente na capacidade de contemplar que cada um de nós possui, e que pode ser desenvolvida com exercícios acessíveis.
É um processo totalmente natural. O terapeuta não pula degraus, não intervém no fluxo dos eventos. Simplesmente elimina as resistências que impedem a quem se submete à cura de estar equilibrado. Na prática de Sat Nam Rasayan®, não se procura um poder mental, mas sim um estado de profunda contemplação no qual nos tornamos conscientes das ordens e das relações. Se mantém a experiência. A que existe. Sem construções simbólicas. Sem fantasias. Sem milagres.
O objetivo do Sat Nam Rasayan® é o de colocar o processo de conhecimento individual em ressonância com o do Universo. Preconceitos e desafios desaparecem na medida em que o praticante deixa de ver as coisas como ele gostaria que fossem e começa a enxergar a Verdadeira Natureza delas. O terapeuta tem a oportunidade de praticar a aceitação e este é um ponto de partida para grandes transformações. O praticante de Sat Nam Rasayan® adquire maior tolerância e flexibilidade na vida quotidiana, estabilidade diante dos estados de ânimo, maior expressividade afetiva e em geral maior domínio de si mesmo.

Texto extraído do site: http://yogavital.net

Nenhum comentário:

Postar um comentário